UOL Empregos Grupos de Discussão
 

17/11/2009

Mulheres são mais centradas no trabalho?

As mulheres consideram o trabalho mais central na vida do que os homens. Há 30 anos não se poderia afirmar isso, mas um estudo da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP sobre os significados do trabalho nos setores público e privado aponta que as mulheres passaram a valorizar mais o trabalho em ambos os setores.

O estudo observou que os mais centrados no trabalho são mulheres, solteiros e os de maior escolaridade. A hipótese que o responsável pela pesquisa, Sérgio Hideo Kubo, levantou para o resultado de as mulheres terem passado a dar mais importância ao trabalho é o fato de que há 30 anos elas não estavam tão inseridas no mercado e não tinham tantas oportunidades.

No geral, a família foi apontada pelos entrevistados como a esfera mais importante da vida, seguida por trabalho, lazer, religião e comunidade.

* As informações são do Canal Executivo.

Na sua opinião, por que as mulheres deram maior importância ao trabalho do que os homens? Elas são realmente mais centradas no trabalho? Comente.

16/11/2009

Você já foi convocado após prestar concurso de cadastro de reserva?

A CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) do Senado aprovou no início deste mês projeto do senador Marconi Perillo (PSDB-GO) que cria regras para assegurar a nomeação de aprovados em concursos públicos do Executivo.

De acordo com o projeto, duas novas informações devem estar obrigatoriamente nos editais de concurso público: o quantitativo de vagas a serem preenchidas no prazo de validade do concurso, com o cronograma detalhado dessas nomeações.

Segundo o gabinete do senador Adelmir Santana (DEM-DF), relator da proposta, a medida, ao fixar o número de vagas, não proíbe os concursos de cadastro de reserva, pois entende que se trata de um tipo diferente de edital. Para Carlos Eduardo Guerra de Moraes, professor da UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e diretor de curso preparatório no Rio de Janeiro, o projeto pode, sim, ser interpretado como uma proibição do cadastro.

Quando apresentou a proposta, Perillo argumentou que os órgãos públicos não preenchem as vagas anunciadas em concurso por falta de planejamento sério de sua gestão de pessoal. Segundo Perillo, os responsáveis pelos concursos "estão brincando com a vida e o destino daqueles que se dispuseram a se preparar" para eles.

* As informações são do UOL Empregos.

O que você achou da proposta do senador Marconi Perillo? Você já foi aprovado em algum concurso de cadastro de reserva? Foi chamado ou não? Deixe sua opinião ou seu relato.